MRV.gif

No papel brasileiros começam a Libertadores com força, na bola precisam jogar mais


Atlético-MG passou pela pré-Libertadores contra dois adversários uruguaios ( Foto: Fábio Barros/Agência F8/Gazeta Press)

A fase de grupos da Libertadores da América começa nesta terça-feira. O Brasil será representado por sete times. Na pré-Libertadores, o São Paulo foi eliminado pelo Talleres-ARG. Mais uma vez, os brasileiros são considerados participantes de peso, mesmo que de 2014 a 2016, o desempenho tenha sido ruim. Em 2017, o Grêmio levou o título e, em 2018, Grêmio e Palmeiras chegaram às semifinais.

Para 2019, o blog faz suas apostas para o torneio. River Plate e Boca Juniors sempre serão grandes adversários. No mais, pelos participantes, parece que não haverá uma grande surpresa, como ocorreu com Nacional-PAR, Independiente Del Valle-EQU e Lanús, nos últimos anos.

Entre os brasileiros, vamos às projeções

Atlético-MG – passou um sustinho com o Danúbio e eliminou o Defensor com tranquilidade, na pré-Libertadores. Se reforçou para aumentar a experiência no elenco. Está num grupo médio, apesar dos tradicionais Nacional-URU e Cerro Portenho. Acredito que classifica.

Athletico-PR – chega com o cartaz de campeão da Sul-Americana. Manteve o mesmo técnico e a filosofia de trabalho. Terá o Boca Juniors como grande adversário. Fisicamente, começa muito bem, mas pode sentir a falta de ritmo de jogo, com apenas dois amistosos disputados. Briga pelo segundo lugar com Tolima e Wilstermann. Grupo chato.

Cruzeiro – no papel, tem a chave mais fácil para os brasileiros. É mais time que os oponentes. Estreia contra o Huracán, talvez o mais difícil pela frente. Emelec e Deportivo Lara não assustam. Passa em primeiro lugar, mesmo que tenha mostrado algumas falhas nos últimos jogos pelo Mineiro.

Flamengo – investiu pesado e pegou um grupo tranquilo, mesmo que enfrente a altitude de Oruro e a tradição do Penharol. A LDU de Quito deve ser o adversário mais complicado. É favorito para a primeira colocação e pode jogar bem mais. Vai se classificar.

Grêmio – segue jogando bola e melhorou o elenco, com boas alternativas. O grupo não é fácil com três equipes acostumadas à Libertadores. No entanto, o tricolor é o melhor time, com o trio Luan, Éverton e Diego Tardelli. Na normalidade, será primeiro colocado.

Inter – volta à Libertadores, depois das semifinais em 2015 e uma queda para a Série B no Brasil. Recuperou-se rápido na questão técnica e manteve o elenco, praticamente. Deve ficar com a segunda vaga, com o River Plate favorito para o primeiro lugar. Palestino e Alianza Lima não assustam.

Palmeiras – chegou às semifinais em 2018 e se credencia como um dos favoritos ao título, em 2019. Junior e San Lorenzo são adversários chatos, mas o Palmeiras tem mais time e elenco. Pode e deve jogar mais. Por tudo que tem, não ficar entre os quatro, pode soar como decepção.

Há muito tempo que, tecnicamente, o futebol brasileiro caiu bastante. Ainda assim, os investimentos aumentaram e os times podem jogar bem mais. A tendência é que o título fique mais uma vez entre brasileiros e argentinos. Tomara que o torneio tenha muita qualidade e pouca interferência da Conmebol, nos bastidores.

Fonte: https://esportes.yahoo.com/

Últimas Notícias
Principais Assuntos